25/09/2016

Foro Itálico - A arquitetura fascista de Mussolini em Roma


Obelisco de Mussolini na Fachada do Foro Itálico

Muitas pessoas visitam a cidade de Roma e se encantam com os sítios arqueológicos do Forum Romano, o Coliseu, as Igrejas Barrocas, a arte Renascentista e muitos outros pontos de diferentes períodos da história. Mas algumas construções interessantes não ficam no centro histórico e marcam um período conturbado do país. Alguns romanos preferem até a demolição e retirada de marcos deste período fascista de Mussolini e outros defendem o não esquecimento deste lado da história. 

Bem, polêmicas a parte, eu me programei para conhecer todas elas e comecei com o Foro Itálico, o coração da vida esportiva de Roma com o Estádio Olímpico que abriga vários eventos, a sede do Comitê Olímpico Nacional e outras sedes de federações esportivas. 

O Foro Itálico foi construído entre 1928 e 1938 como Foro Mussolini, desenhado por Enrico Del Debbio e Luigi Moretti, com inspiração no Fórum Romano da Era Imperial. O objetivo para Mussolini era criar uma obra da arquitetura fascista com linhas retas, superfícies simples  e sem decorações, reforçando os ideais do novo regime racionalista. 

A ponte Emanuele Filiberto Duca D´Aosta sobre o Rio Tibre, liga o Foro ao Bairro Flaminio e leva o nome de um herói da Primeira Guerra Mundial, construído em 1939. O Obelisco na frente tem a inscrição MVSSOLINI DVX e os blocos de mármore ao seu lado relatam as principais etapas do fascismo. Dizem que um documento sobre os ideais de Mussolini foram colocados abaixo do obelisco para a prosperidade. Assim como nas Antigas Civilizações, ele queria deixar o testemunho na história e se comparava como um Imperador Romano valorizando em suas obras a beleza estética da Civilização Grega.



Ponte  Emanuele Filiberto Duca D´Aosta


A fonte da esfera fica na Viale del Foro Italico, foi construída entre 1933 e 1935, projetada pelos arquitetos Giulio Paniconi Pediconi, com mosaicos em mármore branco, desenhado por Giulio Rosso e Gino Severini pela escola mosaico de Friuli.


Fonte da Esfera


O Estádio dos Mármores (Stadi dei Marmi) também foi idealizado por Mussolini e inspirados em modelos clássicos gregos e romanos que representam uma modalidade esportiva e uma província italiana.  Mas eu dei azar e justamente no domingo da minha visita um jogo estava acontecendo com uma muvuca geral de torcedores do Lázio de Roma.



Estádio dos Mármores



Logo atrás fica o atual Ministério das Relações Exteriores (Ministero degli Affari Esterni), projetada pelos arquitetos Enrico Del Debbio, Arnaldo Foschini e Vittorio Morpurgo Ballio para abrigar a sede do Partido nacional Fascista. Originalmente o enorme prédio foi projetado para ser construído na Avenida do Fórum Romano ao lado do Coliseu, mas críticas da população sobre não ser compatível com o entorno levaram a construção para o local onde se encontra. Conhecido como Palazzo della Farnesina com a escultura "esfera grande " no exterior de Arnaldo Pomodoro. As esculturas esferas deste artista, considerado um dos maiores expoentes italianos estão presentes em várias cidades da Itália e dentro do Museu Vaticano, além da sede da ONU em Nova York, entre outras. 


 Ministério das Relações Exteriores com Escultura  Sfera de Arnaldo Pomodoro


Nesta área fica a Ponte Mivio, a mais antiga de Roma e uma obra representativa ainda em funcionamento com construção de 109 D.C. Era a principal entrada da cidade de Roma e lembrada pela batalha em 312 D.C. entre o Imperador Constantino e os Maxentius. Na noite anterior à batalha, ele sonhou com uma cruz escrito em latim " In hoc signo vinces", que significa " sob este símbolo vencerás". Na manhã seguinte mandou pintar a cruz nos escudos dos soldados e conseguiu a vitória. Foi o primeiro Imperador Romano a se converter ao Cristianismo e atribuir uma vitória ao Deus cristão. Este fato foi retratado por vários artistas em suas obras como Rafael, Rubens, Bernini, entre outros. E o Arco de Constantino que se encontra ao lado do Coliseu é o maior de Roma com quase 20 metros de altura, e foi construído em 316 D.C. para comemorar o triunfo de Constantino nesta batalha que permitiu a prática do Cristianismo no Império Romano.

Anos depois adotou o símbolo cristão que combinava as duas letras gregas do nome de Cristo X e P, e recusou-se a oferecer culto aos deuses romanos. Helena, sua mãe teria descoberto o local de crucificação de Jesus em uma peregrinação em Jerusalém, e ergueu a Basílica do Santo Sepulcro, além de ser responsável pelo filho editar o Edito de Milão, que acabou com a perseguição aos cristãos.

Deslocar-se em Roma apenas para conhecer uma ponte pode parecer bobeira, mas estar presente em um local importante como este na história, é o que considero importante em uma viagem. Assim como conhecer a obra construída por Mussolini e constatar o que muitos já escreveram, mas podendo expressar a minha opinião sobre uma arquitetura fria, rígida e sem graça como os ideais fascistas.







   



Ponte Mivio


No primeiro e segundo domingo do mês das 9h00 às 20h00 acontece uma feira da Ponte Mivio dedicada especialmente para antiquário, moedas e notas antigas. 







Próximo da Ponte Mivio, fica a Igreja Gran Madre de Dio que tem a arquitetura muito parecida com o Panteão de Paris, e foi construída pelo Papa Pio XI em 1931, para celebrar o XV centenário do Concílio de Efeso que reconheceu a Virgem Maria como mãe de Jesus. 


Igreja Gran Madre de Dio


O Foro Itálico fica dentro do XV Município de Roma e a melhor maneira de chegar é usando o ônibus . A Linha 32  sai da Piazza Ressurgimento no Vaticano e passa pelo Foro Itálico, e se estiver em outro ponto da cidade pode pegar o metro e descer na estação Ottaviano-S. Pietro para pegar este ônibus que fica a alguns passos da estação.

Mapa do Roteiro Bus 32 - Clique para ampliar


Piazza Ressurgimento ao lado do Vaticano

Ponto de ônibus na Piazza Ressurgimento indicando o Número da Linha e o percurso


Piazza Ressurgimento ao lado do Vaticano




Nenhum comentário:

Postar um comentário