18/09/2014

Nápoles - Itália




Para alguns italianos a cidade de Nápoles não faz parte da Itália porque a fama de lugar violento não combina com o restante do país. Sinceramente também tinha um pouco de receio em conhecer por tanta recomendação que ouvi, e é claro que como toda grande cidade é preciso tomar alguns cuidados e evitar andar em certos lugares. Antes da viagem com a escola tivemos uma palestra para falar sobre a cidade e os lugares que deveríamos evitar, portanto acredito que toda esta preocupação e recomendação deve ter algum fundamento. Mas moro em uma grande cidade como São Paulo e estou acostumada a evitar alguns bairros, tomar alguns cuidados e não foi nenhuma novidade na visita a Nápoles.

Conhecendo um pouco da história é possível perceber que esta fama talvez venha de longe porque Nápoles foi capital da Campânia, fundada pelos gregos que a chamaram de Neapolis ou " Cidade Nova ". No século IV foi incorporada ao Império Romano e sempre teve uma trajetória turbulenta marcada por revoltas. Depois da queda do Império Romano, foi dominada pelos normandos, pelos godos, pelos suábios ( um povo germânico), pelos franceses angevinos, pelos reis espanhóis da Casa de Aragão e pelos reis franceses da Casa de Bourbon. Tornou-se uma República independente mas foi conquistada por Napoleão Bonaparte e novamente pelos Bourbons até a unificação quando foi anexada à Itália. Sem falar  da máfia e a Camorra considerada o grupo mais violento da Itália. 




A primeira impressão é que Nápoles não é mesmo  uma cidade que combina com a Itália porque é grande, suja e desorganizada com muitos imigrantes nas ruas, mas aos poucos você descobre suas particularidades. Para entender e gostar de Nápoles recomendo assistir um filme muito divertido de Lucca Miniero: Benvenuti al Sud. ( Bem-vindo ao Sul). 



Chegamos muito cedo depois de uma noite de viagem e a primeira parada foi no mirante para assistir o nascer do sol com o  Vesúvio ao fundo, um vulcão distante nove quilômetros de Nápoles que destruiu a cidade de Pompeia quando entrou em erupção em 79 D.C.



Começamos a visita na cidade pelo Castelo Novo, próximo da marina onde saem os barcos para visitar a Ilha de Capri.  O castelo foi construído como residência e fortaleza em 1279, por ordem de Carlos I de Anjou, como era conhecido o Carlos I, rei de Nápoles e da Sicília.




Ao lado do Castelo, na Via San Carlo fica a Galleria Umberto I projetada por Emanuelle Rocco com inspiração na famosa Galleria  Vittorio Emanuelle de Milão. Na frente da Galeria o Teatro San Carlo, o mais antigo teatro e Casa de Ópera  da Europa em atividade e fundado pelo  Carlos III Bourbon da Espanha.





No final da Via S. Carlo chegamos à Piazza Trieste com o Café Gambrinus em estilo Art Nouveau, o mais tradicional e antigo de Napóles para provar o Café Napolitano, um expresso ristreto com açúcar adicionado durante a extração e os doces  Cannoli e Sfogliatelli que são típicos da Sicília, mas ganharam fama na cidade de Nápoles. Ao lado a Piazza Plebiscito rodeada pelo Palácio Real que foi residência dos reis de Nápoles e da Sicília, Palácio da Prefeitura, Palácio Salerno e Basílica de San Francesco di Paola que lembra o panteão de Roma.




Com um pouco mais de caminhada da Piazza Plebiscito chega-se ao Castelo D´uovo, o mais antigo da cidade de Nápoles. O nome deriva de uma lenda segundo o poeta Virgílio que na Idade Média era considerado um mago, escondeu no edifício um ovo mágico  que se encontrado e destruído provocaria a queda do castelo e catástrofes na cidade.




E o almoço foi em um restaurante próximo da Piazza Plebiscito onde comemos a especialidade da cidade : Pizza Marguerita, criada em 1889 para homenagear a Rainha Marguerita di Savoia, esposa do rei da Itália Umberto I durante sua visita a Napóles. O pizzaiolo Rafaelle Esposito usou ingredientes nas cores da bandeira da Itália : mozarela para o branco, tomate para o vermelho e manjericão para o verde. Na verdade gostaríamos de ter mais tempo para visitar a Antica Pizzeria Da Michelle na Via Cesare Sersale 1, esquina com Via Coletta, que ficava um pouco distante de onde estávamos e ficou famosa depois de aparecer no filme " Comer, Rezar e Amar " com Julia Roberts.




Outro lugar que senti muito não ter mais tempo de conhecer foi o Museu da Capela Sansevero, e recomendo para quem estiver com programação de visitar Nápoles. Entre as obras de muitos artistas a principal é o Santo Velado de Giuseppe Sanmartinho com um véu de mármore sobre a escultura.




É claro que Nápoles tem outros pontos, museus, praças para conhecer, mas como visitamos com a equipe da escola a recomendação era andar juntos e apenas nas imediações da Piazza Plebiscito. Sinceramente foi o suficiente para concluir que não amei de paixão, mas gostei de conhecer. E a pizza Marguerita? Como paulistana da gema posso dizer que já comi melhores em Sampa e só troquei o almoço pela pizza para provar a especialidade, mas uma bela pasta seria melhor. Na saída do restaurante experimentei o Cannoli, doce típico desta região e também dei azar porque a massa estava muito grossa e não gostei. Já comentei sobre este doce  neste post AQUI do Café Zena, em São Paulo.