11/05/2014

Roteiros em Roma - Centro histórico - Itália


Roma é uma daquelas cidades que você pode conhecer e sempre terá algo a mais para fazer. Os roteiros de onde começar a visitar e melhor trajeto são muitos, mas quase todos estão centralizados no centro histórico e na Via del Corso, onde estão a maioria das atrações no seu entorno. Depois de muitas  visitas na cidade e já ter começado o roteiro de uma ponta da via del corso, ou da outra ponta, ou vindo do vaticano, montei para esta viagem uma alternativa diferente e gostei bastante também.

Fontana delle Arpi

Começamos descendo na Estação de metro Barberini  que tem este nome em homenagem a uma importante família de Roma. No centro da Praça fica a fonte del Tritone, filho de Netuno e primeira fonte do artista Bernini, em estilo barroco. É também nesta praça o início da Via Vênetoimortalizada no filme de Fellini " La Dolce Vita " e com outra fonte de Bernini, a Fontana delle Arpi. Da praça caminhamos até a Fontana de Trevi que fica mais ou menos no meio da Via del Corso.


A Fontana de Trevi em estilo barroco na Piazza Trevi, foi construída no local de cruzamento de 3 estradas e ponto final de um dos mais antigos aquedutos romanos que abasteciam a cidade, o Acqua Vergine, destruído pelos Godos durante as invasões bárbaras que marcaram o fim do Império Romano e início da Idade Média. Era costume romano construir uma fonte ao final de cada aqueduto e foi reavivado com o Renascimento. Em 1453, o Papa Nicolau V, determinou que o aqueoduto Acqua Vergine fosse consertado e um receptáculo para receber a água foi projetado no local da atual Fontana de Trevi pelo arquiteto Leon Battista Alberti. Em 1629, o Papa Urbano VIII encomendou a Bernini um projeto para remodelar a fonte, mas com a morte do papa o projeto foi abandonado. Em 1730, o Papa Clemente XII organizou uma competição para a fonte e Nicola Salvi começou o trabalho que foi terminado após sua morte por Giuseppe Pannini.





No centro da Fonte a imagem de Netuno sobre uma carruagem em forma de concha, puxado por dois cavalos-marinhos, sendo o da esquerda agitado e o da direita manso. Ao lado as figuras femininas da Abundância à esquerda e da Salubridade à direita. Ficar parada ouvindo o barulho das águas diante de um monumento como este é algo que renova a alma. É claro que está sempre lotado de pessoas atirando suas moedas na fonte como tradição e com lojas " pega turista " no entorno.



Saindo da Fontana de Trevi e atravessando a Via del Corso para pegar a Via dei Seminario, fica a Igreja  Santo Inácio de Loyola em estilo barroco.  Santo Inácio foi o fundador da Ordem dos Jesuítas Companhia de Jesus que teve  grande importância na História do Brasil e principalmente São Paulo. Destaque nesta igreja para o afresco no teto pintado pelo frei Andrea Pozzo, autor de Perspectiva Pictorium et Architectorum , considerado o pai da perspectiva pictória. 












No final desta rua na Piazza della Rotonda, o Panteão, única edificação da era Greco-Romana em perfeito estado de conservação.Construído  em 27 AC, como um templo para homenagear todos os deuses romanos durante o reinado de Otaviano-Augustus por Marco Vipsânio Agriga, um dos mais importantes generais do Império Romano, conhecido pelas construções que embelezaram a cidade de Roma e o mapa do mundo antigo que elaborou com dados obtidos em suas viagens. O seu nome está escrito sobre o pórtico : M.AGRIPPA.L.F.COS.TERTIUM.FECIT, que significa   “ Construído por Marco Agripa, filho de Lúcio, pela terceira vez cônsul.”

Foi destruído por um incêndio em 80 D.C. durante o reinado do Imperador Tito , reconstruído no reinado do Imperador Adriano, e em 608,  foi consagrada como Igreja dedicada a Santa Maria de Todos os Santos. Desde o Renascimento o Panteão é utilizado como última morada de personalidades italianas como o pintor Rafael e o rei  da Itália Vitor Emanuel II. A obra serviu de inspiração a arquitetos como Andrea Palladio,  que utilizou o frontão grego em muitas de suas obras, como a mais famosa La Rotonda e Brunelleschi para construir a cúpula do Duomo de Florença. Aberto todos os dias das 8h30 às 19h30 e aos domingos das 9h00 às 18h00. Entrada gratuita. 



Próximo ao Panteão fica a Praça da Igreja Santa Maria Minerva com uma escultura de Bernini, uma base de elefante para um obelisco que originalmente foi projetado para o Palácio Barberini. Esculpido por Ercole Ferrata seguindo o desenho de Bernini . No interior da igreja a escultura de Michelangelo do Cristo em pé, sem feridas e segurando a cruz nas duas mãos, um gesto que demonstra a natureza voluntária de sua morte na cruz. 






As duas principais sorveterias de Roma ficam nesta área : Sorveteria San Crispino  na Piazza dela Magdallena, 3, considerado o melhor de Roma com destaque para o sabor de zabaione,e Fiocce di Neve – Via del Pantheon, 51 com destaque para os sabores: chocolate com avelã, torroncino e zuppa inglese. Paradas para tomar sorvete em Roma é uma tradição e garanto que você nunca experimentou nada igual.
         
 http://www.ilgelatodisancrispino.it/



Piazza Navona, hoje coração do centro histórico que foi local da Antiga Arena de jogos esportivos Romana de Domiciano, em 86DC , e deu forma a atual praça do século XVI. No centro a Fonte dos Quatro Rios de Bernini com quatro figuras, cada uma representando um rio de um continente diferente: Nilo símbolo da África, Ganges símbolo da Ásia, Danúbio representando a Europa e Rio de La Plata representando a América. As outras duas fontes ficam no extremo sul e norte da praça e foram projetadas por Giacomo della Porta: Netuno e Mouro.



A Igreja Sant´Agnese também em estilo barroco que predomina em toda a Piazza Navona, foi construída por Borromini, principal rival de Bernini. O Palazzo Pamphilj é propriedade da Embaixada Brasileira.





Este é um local para frequentar de dia ou de noite e estará sempre cheio de pessoas circulando com restaurantes, bares e os tradicionais gelatos italianos. Mas bem pertinho da Piazza Navona fica o Campo dei Fiori que todos os dias, exceto aos domingos, ocorre um dos maiores mercados de Roma. No meio da praça há uma estátua em homenagem ao filósofo  Giordano Bruno  queimado vivo naquele local  em 1600, por ter afirmado, assim como Galileu Galilei, que a terra é que girava em torno do Sol e não o contrário.




Uma pausa para uma especialidade italiana : " mangiare una bella pasta" , e qual o melhor local por aqui? Tudo no entorno do Campo dei Fiori, uma praça cheia de bons restaurantes. Escolhemos o Carbonara na Piazza dei Fiori ,23  com a Pasta La Carbonara, considerada uma das 10 melhores de Roma. O local tem mesas na rua e no interior, principalmente no andar superior onde se tem a vista da praça pelo alto.








Nada melhor do que comer uma bella pasta, um bom vinho, e neste caso un Nobile de Montepulciano, ao lado de pessoas mais do que especiais. E o Carbonara foi o melhor que já provei.

2 comentários:

  1. Estou acompanhando a tua viagem com muito entusiasmo. Pois vou a Camerino em setembro/2014, então estou anotando todas as tuas dicas, Estou seguindo os teus passos aqui e no Face. Muito obrigada por compartilhar e mostrar com detalhes a tua linda viagem! parabéns pelos belos posts.

    ResponderExcluir
  2. Malu, obrigada e fique de olho que entrarão mais dicas. Espero que goste de Camerino porque cheguei esta semana e já estou com saudades.

    ResponderExcluir