09/04/2014

Objetos de Viagem - Peças de decoração



Encontrar lojinhas de souvenir em cada canto que se viaja não é difícil e a maioria tem muita bugiganga "pega turista". Como não gostamos de carregar muita bagagem e de ter uma casa entulhada de coisas, desenvolvemos uma tática de souvenir que é a nossa coleção de mini pratinhos de cada lugar que já comentei em outro post. 






Como sempre gostei de arte desde criança, meus pais  trouxeram a pintura de abertura deste post de uma viagem a Paris e  tenho até hoje. Esta foi a primeira  na decoração de casa e outras que adquirimos em viagem, mas não compramos réplicas ou falsificadas, optamos por fotos preto e branco ou algo bem típico que se enquadre no nosso ambiente. O meu conceito na escolha dos quadros é que eles precisam contar uma história, trazer uma lembrança e estar dentro do conceito do nosso espaço. Não consigo escolher um quadro apenas para combinar com a cor do ambiente.




Esta gravura foi a primeira que comprei em uma viagem a Los Angeles,  é uma montagem com a imagem do Universo e uma parte do afresco da Capela Sistina no Vaticano pintada por Michelangelo  que representa Deus dando vida a Adão. 






Uma coleção que era do meu pai com notas antigas dos países estão montadas em uma parede junto com fotos de família  e um relógio antigo de estação de trem  ficam no nosso Home Office. Achamos que era o lugar perfeito porque dinheiro atrai dinheiro e um bom incentivo ao trabalho. As moedas também de diferentes países ficam em um vidro sobre o armário baixo . 





Outros objetos da decoração também foram trazidos de viagens como a coleção de copos de Murano por serem uma peça única e bem característica de Veneza, cerâmica da Holanda com os moinhos , uma base de luminária de mesa com a representação das cariátides na Acrópole de Atenas, etc. E nossas fotos ficam armazenadas em um Porta Retrato digital ligado todos os dias. 





Esta é uma pequena amostra do que trazemos de viagens e preferimos peças que se enquadrem dentro do nosso contexto, não imaginamos por exemplo, trazer um chapéu mexicano ou um berimbau que não teríamos onde colocar e nenhuma relação com o nosso espaço.E também não vejo muito sentido comprar algo para deixar guardado dentro de um armário, portanto todas as peças são escolhidas com muito carinho e por representarem algo que vivenciamos. As fotos em preto e branco abaixo são de obras que estão no Museu do louvre : Escultura Vitória de Samotrácia e Psique do Amor, ambas ficam bem em frente à minha mesa de trabalho e me inspiram.




5 comentários:

  1. Adorei! Também tenho meu cantinho "souvenir"...é uma forma da viajar continuar...Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Nidia, legal esse tema!
    Eu faço de outro jeito: como tenho mania de papelaria, adoro canetinhas, necessaires, bloquinhos e marcadores, e por isso, minhas lembrancinhas pessoais de viagem ficam na "seção de papelaria". A única exceção foi uma caneca que trouxe de Londres, super-pesada, mas valeu a pena, tomo minha vitamina matutina nela diariamente, e curto já de manhã ver a "union jack" na minha canequinha de Londres.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bacana Flávia. Eu coleciono lápis de museus que visito, mas não é assim uma coleção, é uma mania mesmo de arquiteta e tenho um pote na minha mesa cheio deles.

      Excluir
  3. Ops! Ai esse corretor...É uma forma da viagem continuar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Delícia mesmo poder continuar a viagem nas lembranças.

      Excluir