19/04/2013

Síndrome do Linus em Viagens




Preciso dar uma pausa nos posts sobre a nossa viagem de férias do início deste ano para escrever algo que já faz tempo que quero comentar por aqui. Acabei de chegar de uma viagem de trabalho e confesso que não dá mais para esperar porque gostaria de ajuda para entender esta síndrome que anda pairando pelos aeroportos brasileiros. Todos sabem que viajo bastante a trabalho e tenho reparado muitas pessoas pelo Brasil  viajando de avião com seus travesseiros, isto mesmo...t-r-a-v-e-s-s-e-i-r-o-s!!!!

Na minha opinião, penso ser nojento você andar pela rua com um travesseiro enorme, esfregando em tudo e depois dele bem sujinho você colocar seu rosto para dormir. Pelo menos eu gosto de dormir bem limpinha e cheirosa. O que leva uma pessoa a não desgrudar do seu travesseiro para viajar? Os hotéis que conheço sempre tem pelo menos um em cima da cama. hahahha. Desculpem o sarcasmo mas “nun to intendendo”. 


Quando vejo uma cena de alguém arrastando o seu travesseiro nos aeroportos penso logo  na turma do Charle Brown, dos desenhos do Snoopy e o personagem Linus, irmão da Lucy sempre agarrado ao seu cobertor azul. Chamarei isto de “ Síndrome do Linus " da Turma do Charles Brown-Snoopy”.




É muito engraçada esta mania de não conseguir desgrudar, desapegar e estar preparado para conhecer o desconhecido, ou vivenciar momentos diferentes, sair da rotina que uma viagem, mesmo sendo a trabalho pode proporcionar. Com tantas viagens aprendi a ver a vida de uma maneira diferente e procuro absorver o que cada lugar pode me proporcionar e isto inclui travesseiros. A única síndrome que levo na mala é a fidelidade com o marido a 19 anos.E para a turma que não consegue se desapegar a dica é que um travesseiro inflável para colocar em volta do pescoço é mais discreto.







Nenhum comentário:

Postar um comentário