01/12/2012

Muqueca Capixaba do Espirito Santo-Brasil



Ao longo deste ano fui constantemente para Vitória a trabalho, os dias que passo na cidade são sempre cheio de reuniões, mas adoro viajar para lá porque é uma cidade gostosa com clima quente e  brisa da orla do mar. Acordo muito cedo e o nascer do sol com a vista do mar é imperdível pela janela do quarto de hotel.


A Praia da Costa é um bairro nobre onde ficam a maioria dos hotéis, restaurantes , lojas e a melhor opção para começar a descobrir a cidade. Na Orla do Suá é onde fica a sede da Empresa e uma das melhores vistas com a Ponte que liga à Vila Velha, o  Shopping Center e a Praça do Papa. É claro que durante todas estas viagens provei por diversas vezes a Muqueca Capixaba, o prato típico do Espirito Santo, e na maioria das vezes no Restaurante que fica na Praça do Papa, local de eventos e lazer da cidade com uma vista linda do Convento da Penha.



A  Moqueca Capixaba é considerada mais leve em comparação com a Muqueca Baiana por não levar óleo de dendê na sua receita. Geralmente acompanha o pirão e arroz e são várias opções entre Muqueca de Peixe, Camarão, Lagosta, etc. Mas a mais incrível que provei foi a Muqueca de Banana da terra. Uma viagem à Vitória não é completa sem você provar estas delícias que fazem parte da Cultura local.



A arte da muqueca está ligada à outra tradição de origem indígena de Vitória que são as Paneleiras das Goaibeiras, um grupo de mulheres artesãs que fabricam artesanalmente as Panelas de Barro no bairro de Goiabeiras. São peças moldadas manualmente com argila, queimadas a céu aberto e impermeabilizadas com tintura de tanino, extraído da casca do mangue vermelho.



A minha coleção de Pratinhos de viagens não tinha nada de Vitória porque nunca encontrei pela cidade, mas isto mudou ontem quando cheguei no aeroporto para voltar à São Paulo. Logo na entrada do embarque abriu uma loja de souvenir e comprei esta pequena Panela de Barro do tamanho de um dedinho que vem com a Receita da Muqueca dentro e a imagem do Convento da Penha.




Nenhum comentário:

Postar um comentário