12/12/14

Lugano - Suíça







Lugano foi nosso ponto de partida para pegar o trem panorâmico Whilhelm Tell Express que comentaremos no post seguinte. Na verdade este trem também parte de Locarno que foi nossa parada do Lago Maggiore Express, mas optamos de sair de Lugano e acertamos em cheio porque é cercada de montanhas e debruçada sobre o Lago Lugano com aquele ar de Dolce far niente pela proximidade com a Itália.




Chegamos a Lugano com trem que pegamos em Locarno e  conexão na cidade de Giubiasco com duração média de uma hora. Compramos as passagens pela internet no site da Raieurope e recebemos em casa antes da viagem. Neste site algumas passagens podem ser impressas no ato da compra e outras são enviadas pelo correio, portanto a programação com antecedência é importante. Outra dica importante é prestar atenção na estação de trem porque a cidade tem duas: Paradiso Lugano é  afastada do centro histórico e a de Lugano. Em Paradiso ficam os hotéis mais em conta, mas precisará pagar pelo deslocamento para a cidade de Lugano. 


A Estação de Lugano fica no alto e para descer ao centro é preciso pegar um funicular ou escadas. Como ficaríamos apenas uma noite e queríamos fazer tudo a pé, escolhemos um hotel simples que fica em frente à parada do Funicular, o Acquarello Swiss Quality Hotel.
O funicular praticamente passa dentro do hotel e em alguns comentários do booking algumas pessoas reclamaram do barulho, mas sinceramente não ouvi muito barulho e o hotel serviu direitinho porque era simples, muito bem localizado e limpo. O Hotel Lugano Dante também fica com excelente localização na saída do funicular e um pouco mais caro que o Accquarello.


Hotel Accquarello



Hotel Dante Lugano


Assim que chegamos, deixamos as malas no hotel e já saímos para bater perna pela cidade caminhando pelo centro histórico que é fechado ao trânsito de automóveis e chegamos na orla do lago. As construções em estilo mediterrâneo e os parques são um convite para caminhar. O Parque Cívico é o cartão postal da cidade com vistas incríveis com muitas flores, principalmente Camélias.









É fácil notar como a arte é presente em todos os lugares como a estranha escultura de uma cabeça caída na Praça Independência, mas o melhor da cidade é caminhar e descobrir a arquitetura, a arte e a atmsofera das igrejas barrocas ainda com inspiração italiana, apesar de você estar na Suíça. O italiano ainda é a língua que ouvirá em muitos lugares, assim como a comida com queijos, pizzas e pastas regadas com um bom vinho da região do Ticino.






E nosso final de tarde não poderia ter sido mais italiano : sentamos em uma mesa de um dos restaurantes do centro histórico para apreciar a paisagem e  falar com a família aproveitando o Wifi com uma bela taça de vinho.



Para os amantes de compras o centro histórico é cheio de lojas e a Manor é uma grande de departamentos com vários andares. Um pouco mais distante fica o Shopping Centro Lugano Sud com supermercado, Loja Ikea e outras lojas como Zara, H&M, C&A,etc.Para chegar é preciso carro ou ônibus. https://www.centroluganosud.ch
Mas lembrando que na Suíça a moeda é o Franco Suíço e os preços para compras não compensam muito para coisas que temos no Brasil. O que vale a pena são produtos típicos deles como os famosos canivetes, relógios, chocolates e cremes.






08/12/14

Locarno - Suiça



Nesta Viagem à Suíça nosso objetivo era conhecer: a Suíça Italiana com as cidades de Locarno e Lugano, a Suíça Alemã com Lucerna e Berna e a Suíça Francesa com Montreux pegando alguns trechos de trens panorâmicos. Locarno foi uma passagem muito rápida e local de chegada do barco Lago Maggiore Express que já comentamos nos posts anteriores. Assim que desembarcamos, pegamos um trenzinho ao lado do píer para fazer um city tour pela cidade com custo de oito francos suíços, e foi uma ótima oportunidade de ver uma panorâmica dos pontos de interesse.







Nesta região o idioma ainda é o italiano pela proximidade de fronteira com a Itália e apesar de você já estar na Suíça o clima da velha bota é muito presente, além da beleza de uma cidade na beira do lago Maggiore margeada por parques e jardins com palmeiras e limoeiros. O ponto principal é a Piazza Grande e local dos eventos que atraem muitas pessoas para esta pequena e charmosa cidade como o Festival Anual de Cinema, que acontece durante onze dias do mês de agosto e transformam a Piazza em uma grande sala de cinema a céu aberto. A praça tem um grande espaço no centro cercado de várias lojas, cafeterias e restaurantes. Em julho acontece o Festival Moon & Stars com 10 noites de concertos de música internacional.



A limpeza e o cuidado com praças e edificações, ruas e parques limpos, a organização da cidade e educação dos habitantes não deixam dúvida que você está na Suíça. O Castelo Visconteo próximo do centro histórico é a única edificação mais antiga do século XII e parcialmente preservada.





A Igreja da Madonna del Sasso fica localizada acima da montanha Orselina e foi construída como aparição da Virgem Maria, segundo conta os historiadores. É um passeio com uma vista extraordinária da cidade de Locarno, do lago e das montanhas do entorno.A maneira mais fácil de chegar é com o funiculare que parte da estação ferroviária de Locarno, próximo ao píer dos barcos.





De Orselina sai o teleférico moderno projetado pelo arquiteto Mário Botta até Cardada-1340m e de lá até Cimetta com 1670m. São montanhas dos alpes Suícos com esportes de inverno e pistas de esqui com uma incrível paisagem também em outras estações do ano. Mais informações neste site: http://www.cardada.ch/it






01/12/14

Produtos Típicos do Lago Maggiore- Itália


O Lago Maggiore é um lago dividido 80% na Itália, sendo o segundo maior neste país e 20% na Suíça. Com média de 54km de comprimento e 10 Km de largura envolve várias regiões no seu perímetro. Veja nos posts anteriores ou com marcador ao lado Lago Maggiore mais detalhes do passeio de barco pelo lago. Neste post vamos comentar sobre os principais produtos típicos desta região que envolve grapas e licores, seguindo uma tradição no processo de fabricação desde a Idade Média. 



Fil da Fer é um típico licor ossolano, da região de Ossola feito a base de Uísque, leite, açúcar, gemas de ovos, marsala e baunilha servido quente e  produzido pela Destilleria Monterosa. http://www.monterossa.com/.







Receita de Fil da Fer

Ingredientes:(a troca de alguns ingredientes abaixo  não faz parte da receita original e são sugeridos como opção apenas caso não encontre as bebidas)
1 cálice e 3/4 de Uísque
2 colheres (café) de suco de limão
1 colher (café) de Granatina - é uma bebida a base de romã ( se não encontrar poderá fazer um xarope batendo as sementes de romã maduras em um liquidificador, deixe descansar por 24 horas, retire a espuma que forma na superfície e acrescente 100 gramas de açúcar para cada 100 ml de líquido e deixe descansar por mais 48 horas. Ferva por aproximadamente 10 minutos e guarde o xarope em uma garrafa para usar em doces ou aperitivos. Uma outra maneira mais fácil é substituir por groselha.)
2 gotas de Angostura, uma bebida criada em 1824 na cidade de Port-of-Spain em Trinidad na Venezuela. ( se não encontrar pode substituir por Rum)
Cubos de gelo

 
 



Outro licor conhecido é o Mottarone Amaro, uma infusão produzida com trinta ingredientes diferentes entre ervas, raízes, frutas cítricas, flores e especiarias. O Monte Mottarone é próximo de Stressa e você pode pegar um teleférico na Piazzale Lido até o cume do Monte com duração de vinte minutos. Uma estação de esqui a 1491 metros funciona no inverno com uma das vistas naturais mais bonitas desta região. Consulte o site para confirmar os horários de funcionamento no inverno e verão.

http://www.stresa-mottarone.it/





O Licor Genepi tem suas origens na região de Piemonte no Vale De Aosta, vizinha com a França, mas é muito encontrada também no Lago Maggiore pela proximidade geográfica. Produzido com ervas, especialmente a artemísia nativa nos alpes.


O prato típico é o "Peixe ao Borromeu" empanado com farinha de trigo e ovos, dourado na manteiga e um refogado com cubos de limão, alcaparras e cogumelos jogados por cima.Mas o meu prato típico preferido desta região são os biscoitos "Margheritine di Stressa", criados em 1857 pelo confeiteiro Pietro Antonio Bolongaro, na ocasião da Primeira Comunhão da Princesa e futura Rainha Margherita. Os pequenos biscoitos  redondos com uma cavidade no meio e polvilhados com açúcar, são feitos com manteiga, farinha, amido, gemas, raspas de limão, baunilha e sal.
A minha madrinha também se chamava Margherita e aqui no Brasil ficou apenas Rita, além da flor margarida ser a preferida do meu pai. Tenho lembranças de infância quando chegava na casa da minha madrinha e ela preparava biscoitos na hora.


Receita Margheritine di Stressa
Ingredientes:
250 gramas de açúcar peneirado
250 gramas de manteiga sem sal em temperatura ambiente
150 gramas de açúcar de confeiteiro ou açúcar Vanille peneirado
4 gemas de ovos cosido
200 gramas de amido de milho
200 gramas de farinha de trigo
1 colher ( chá ) essência de baunilha
uma pitada de sal
raspas da casca de meio limão amarelo italiano

Modo de Preparo:
Misture até ficar homogêneo o açúcar com a manteiga. Adicione as raspas de limão, a pitada de sal,a baunilha e as gemas de ovos cosidas passadas em uma peneira.Quando a massa estiver bem lisa adicione a farinha de trigo e o amido e misture bem. Deixe descansar na geladeira por duas horas dentro de um plástico. Abra a massa com um rolo e corte margaridas com uma forminha de metal e coloque em uma assadeira coberta de papel manteiga. Marque o centro com um palito de madeira e coloque em formo pré-aquecido a 200 graus por 10 minutos em média. Polvilhe açúcar de confeiteiro.