22/03/15

A Nova e Velha Arquitetura de Marselha - França



Um dos motivos de incluir a cidade de Marselha no nosso roteiro era ver de perto as novas construções de arquitetura que a cidade recebeu e outras ainda em construção. Em 2013, a cidade foi  a capital europeia da cultura, e por este motivo vários projetos, eventos artísticos e culturais ajudaram a criar novos espaços e paisagens urbanas. Arquitetos contemporâneos como Zaha Hadid, Norman Foster, Stefano Boeri, Patrick Bouchain, etc,contribuíram para a concepção de novos museus, salas de concerto, galerias entre outros projetos.




O Vieux-Port - o Porto Velho de Marselha  tem séculos de história como um dos mais importantes e o maior porto comercial da França. Segundo a lenda, a cidade de Marselha foi fundada pelos gregos por volta de 600 A.C. como porto comercial de nome Massália, e esta região do porto velho é o ponto de partida para começar a descobrir a cidade. Nós chegamos na estação de trem de Saint Charles e pegamos o metro até a estação Viex-Port com acesso direto ao grande calçadão de pedestres nesta área, considerada o cartão postal de Marselha. A entrada do porto está vigiada por dois fortes: o  Fort St. Nicolas e, no lado sul, o Fort St. Jean, construído no século XIII.






A região de Vieux-Port recebeu uma obra do arquiteto britânico Norman Foster- o " Ombriere", uma estrutura de aço inoxidável que cobre 1800m² e fornece sombra e reflexões do teto espelhado. Impossível você não tirar uma foto sua debaixo dele e tem sido um deleite aos fotógrafos. Outras áreas de pedestres foram criadas para diminuir o fluxo de carros e tornar o ambiente mais agradável para passeios pela orla e entorno do porto que é cercada de restaurantes com mesas no exterior.




Outro ponto imperdível é o novíssimo  Museu de Civilizações Europeia e Mediterrânea, o Mucem do arquiteto Rudy Ricciotti, considerado uma cidade cultural ao lado do forte Saint Jean e na entrada do porto de Marselha. Durante o dia a visita permite a vista do mediterrâneo devido à transparência da arquitetura, e à noite é ainda mais bonito.
http://www.mucem.org/






A catedral Santa Maria Maior de Marselha ou La Maior em estilo bizantino romano, fica ao lado do novo museu , mas a mais procurada pelos turistas é a Catedral Notre Dame de La Garde também em estilo bizantino no ponto mais alto de Marselha. O interior é ainda mais impressionante com mosaicos dourados, pinturas e a vista de toda Marselha.A estátua de cobre cobertas com folhas de ouro no topo da torre possui 53 metros de altura , um trabalho do escultor Eugene Louis Lequesne.

Catedral La Maior ao lado do novo museu


Catedral La Maior

Catedral Notre Dame de La Garde

Catedral Notre Dame de La Garde- mosaicos no interior


E nesta combinação do novo com o antigo está um dos maiores projetos de reurbanização, o  Euromediterraneè envolvendo a região da artéria comercial  principal de Marselha, a Rue Republique que liga o Porto Velho ao novo distrito de Joliette. As fachadas foram embelezadas, as calçadas alargadas, novas árvores plantadas e novo mobiliário urbano com o objetivo de valorizar novamente o centro da cidade antes degradado. Nomes como Zaha Hadid e Jean Nouveau participam deste projeto.
http://www.euromediterranee.fr/




E para os arquitetos de plantão, a Cittè Radieuse de Le Corbusier que você deve ter conhecido em suas aulas na faculdade fica em Marselha, mas não tem metro perto. Para chegar é preciso descer na estação Rond Point Du Prado e pegar um taxi com aproximadamente mais um quilometro. Sinceramente não acho que este passeio vale a pena porque é bem longe do centro e nada interessante para conhecer porque já está um pouco degradado, a menos que você faça questão porque é um ícone da Arquitetura Moderna e foi inovador depois da segunda guerra mundial, onde a construção de moradias tornou-se essencial nas sociedades da Europa.

 

E o Castelo de IF sobre uma ilha distante 3.5 km da entrada do porto de Marselha não pode ficar fora desta lista porque foi uma fortaleza no século XVI, transformada em prisão e famosa no romance de Alexandre Dumas " O Conde de Monte Cristo". Também se acredita que o "Homem da Máscara de Ferro" foi prisioneiro na fortaleza. As visitas podem ser contratadas no escritório de turismo no Porto Velho e com barcos, duração de uma hora e meia com custo aproximado total entre barco e entrada de 15 a 20 euros. Veja neste site informações atualizadas:www.frioul-if-express.com 





Outra importante edificação você conheça se chegar em Marselha de trem, a Estação Saint Charles que fica no alto de uma colina com escadas monumentais e uma bela vista da cidade. Também tem uma estação de metro e a linha azul 1 leva direto ao Porto Velho, ou Port Vieux. Na nossa visita em Marselha passamos um momento inusitado porque estávamos na estação para retornar à cidade de Avignon ,que usamos como base para conhecer a Provence, e uma ameaça de bomba fez a evacuação de todos. No início escutamos a sirene e vimos todos correndo para fora , seguimos as pessoas e tivemos que ficar do lado de fora por horas até tudo estar resolvido. Chegamos a pensar que seria preciso ficar por ali porque já era tarde e até vimos o Hotel Ibis bem do lado da estação, mas não foi preciso. 





Hotel Ibis ao fundo com a estação à esquerda.
Uma opção que facilita o deslocamento na cidade




Como curiosidade, na Revolução Francesa alguns voluntários de Marselha marcharam para Paris para defender o governo revolucionário. Em sua marcha cantavam uma canção que passou a ser conhecida como La Marseillaise, hoje convertida em Hino Nacional da França.


15/03/15

Cassis - França


Esta pequena e graciosa cidade fica a 20 km de Marselha, perfeito para desfrutar bons momentos com uma orla cheia de casinhas coloridas ao estilo provençal e um mar azul de perder o ar. E ar é o que não falta com uma brisa gostosa na primavera. As ruas cheias de lojinhas, restaurantes, bares  e muito charme em cada detalhe.

O mar é convidativo, mas uma placa curiosa sinaliza que é proibido passear pela cidade em trajes de banho e devem ser usados apenas na praia. Outra curiosidade é que a pedra de Cassis de calcário foi usada na construção de grandes portos do Mediterrâneo e como base da Estátua da Liberdade de Nova York, um presente da França aos Estados Unidos.

Definitivamente se eu tivesse que escolher  ficar alguns dias em Marseille ou Cassis, a minha opção seria esta última porque é uma cidade balneário mais tranquila, exceto no verão onde cada espaço é muito concorrido e tudo bem mais caro porque é alta temporada. Outra razão para escolher Cassis é a possibilidade de passeios caminhando ou de barco pela melhor parte do Calanques que comentamos no post anterior. Se você pretende fazer o passeio para conhecer os Calanques caminhando, sugiro começar de Cassis onde as paisagens são muito mais bonitas.






12/03/15

Os Calanques de Marselha e Cassis - França



Uma viagem a Marselha ou Cassis no Sul da França não é completa sem um passeio pelos Calanques, pequenos braços de mar com  praias rodeadas por falésias calcárias e a água mais clara, transparente e azul turquesa ou verde esmeralda que já conheci. Optamos por conhecer de barco, mas quem tiver mais tempo e gostar de aventura pode fazer o caminho das trilhas a pé partindo de Marselha ou de Cassis. O trajeto a pé é recomendável apenas para pessoas que não tenham problema de fobia com altura, usar tênis apropriado para longas e íngremes caminhadas, levar água e lanches, mapa, consultar o tempo e o Centro de Turismo porque os ventos comuns na região podem deixar tudo perigoso, além de alguns trechos serem fechados pelo risco de incêndio em dias muito quente.




Pegamos o barco no  porto Viex Port, em Marselha da Croisiere Marseille Calanques -http://www.croisieres-marseille-calanques.com/. Eles oferecem dois tipos de passeio pelos Calanques e dois para a Baía de Marselha. Consulte o site para confirmar as informações de horários e preços.


L´essentiel - trajeto de 2h00 de duração  visitando  6 calanques até Sugiton. Após a saída pela baía de Marselha, a Passage les Croisettes e a Ilha Mairie formam o portão de entrada da área dos Calanques, passando por Callelongue, Calanque de Le Mouline, Marseilleyvere, Queyrons, Sormiou, Morgiou e a localização da Caverna de Cosquer, onde a entrada encontra-se a 37 metros de profundidade abaixo do nível do mar. Descoberta por Henri Cosquer em 1985, guarda pinturas rupestres com a primeira representação de pinguins neste tipo de pintura.

Integrale - trajeto de 3h15 de duração visitando 12 calanques até Cassis, passando pelo mesmo trajeto acima e os mais famosos e bonitos como En-Vau, Port Pin, Port Miou e a Baía de Cassis.

Além destes dois passeios você pode fazer apenas a Baía de Marselha em 1h00 hora de duração ou 1h45 com parada para visitar o Chateau D´if.


Chateau D´if

Clique para ampliar

Nós compramos os bilhetes no site pela internet e levamos impresso, mas pode ser comprado na bilheteria ao lado do embarque. Recomendo reservar com antecedência para garantir sua vaga no horário e dia desejado. Antes do embarque o capitão conversou com cada um para explicar que a maré naquele dia estava agitada e que o barco iria balançar bastante. Apesar disto o passeio foi tranquilo, seguro e com paisagens lindas o tempo todo, além da cor azul do mar impressionante.